Relacionamentos e Emoções

RELACIONAMENTOS E EMOÇÕES

Somos seres em evolução!

Em constante aprendizado!

Vamos transcendendo estágios evolutivos e incluindo estágios anteriores em nossa constituição.

Moléculas transcenderam os átomos que o inlcuiram em sua constituição.

Evoluimos do simples para o complexo. E conquistamos um cérebro complexo com mais de 100 bilhões de neurônios.

Avaliando nossas experiências pelo mundo percebemos que vivemos loops (ciclos repetitivos) que insistem em nos acompanhar durante nossa atual existência.

Até quando vamos repetir esses ciclos? E mais, por que esses ciclos se repetem? Por que não há o aprendizado para que seja incorporado em nossa sabedoria?

Analisemos!

Você se sente capaz de interromper esses loops? Você se sente capaz de mudar algum hábito em sua vida? Como adquirimos esses hábitos? Hábitos de pensamentos, hábitos de comportamentos e hábitos emocionais?

Ao passar por uma experiência, sempre há uma emoção vinculada a essa experiência. Seja ela boa ou ruim. De certa forma criamos memórias emocionais dessas experiências.

Quais emoções estão mais presentes em sua vida e que se repetem com facilidade?

Raiva? Medo? Culpa? Angústia? Desrespeito? Baixa autoestima? Tristeza? Não Merecimento? Frustração? Agressividade? Aspereza? Vingança? Stress? Ansiedade? Desespero? Pânico?

Ou…

Alegria? Amor? Contentamento? Calma? Determinação? Carinho? Autoestima? Admiração? Contemplação? Merecimento? Afeto? Serenidade?

Temos 3 cérebros em apenas um único cérebro que nos permite Pensar, Fazer e Ser.

A linguagem do cérebro é o pensamento.

A linguagem do corpo é o sentimento. Vivemos as emoções em nosso corpo.

Cérebro/Mente e corpo estão em constante troca de informações.

Como se processa essa informação?

Neurotransmissores, Neuropeptídeos e Hormônios.

Eis a “química” que representa nossos pensamentos e sentimentos.

Quando vivemos uma experiência, produzimos uma química específica para representar a emoção daquela experiência. Essa emoção sinaliza o cérebro que produz pensamentos do mesmo teor da emoção que mais uma vez sinaliza centros hormonais específicos para produzir mais da mesma emoção. Eis o ciclo que forma um hábito!

O ciclo entre pensamento/sentimento. O ciclo de comunicação entre mente e corpo. Repetidas vezes durante uma mesma existência é responsável pela formação de Hábitos.

Somos seres habituais. Temos automatismos instalados e conquistados através do funcionamento dinâmico desse ciclo entre pensar e sentir.

Durante vários anos vamos formando a nossa personalidade baseado nesse mecanismo. Personalidade e Estado de Ser. SER porque incorporamos essas informações habituais no cérebro mais antigo chamado de reptiliano (Cerebelo e Tronco Cerebral) onde são armazenadas as memórias daquilo que somos.

Temos 3 cérebros em um único cérebro que nos permite Pensar (Córtex Cerebral), Fazer – Comportamento/Experiência(Cérebro Límbico) e Ser (Cerebelo e Tronco Cerebral).

Dessa forma formamos nossa Personalidade. Nossa “Assinatura Energética”. Nosso Estado de Ser.

Pesquisadores admitem que depois dos 30 anos já estamos com nossa personalidade definida.

Somos “viciados” em nossas emoções! Como assim? Exato. Isso mesmo. É como se de uma forma automática quiséssemos aquela experiência e aquela emoção. A química da emoção.

Lembra? Somos seres habituais. Temos o hábito de sentir raiva, hábito de sentir medo, hábito de sentir culpa.

Vamos sempre criando o mesmo do mesmo. Temos a tendência de criar sempre as mesmas experiências para obtermos as mesmas emoções e pensamentos.

A mente inconsciente é poderosa e ela prepondera quando estamos falando de hábito. E não será um único pensamento positivo que será capaz de modifica-lo.

Nosso corpo, nessa situação, é maior que a nossa mente. E quando isso acontece não há possibilidade de mudanças. Apenas repetimos os loops. Criando o mesmo do mesmo.

E para mudar então? Como é possível mudar um hábito?

Numa resposta simples e complexa ao mesmo tempo diria: Tornando-se consciente dos processos inconscientes. Tornando consciente do programa que foi instalado e reprogramando-o.

Na formação do nosso estado de ser os hábitos foram fundamentais. Precisamos perceber esses hábitos. Precisamos trazer a luz da consciência novamente para termos a oportunidade de ressignificá-los.

Precisamos transmitir novas informações para obter oportunidades de novas experiências e assim ir modificando nossa assinatura energética.

Antes de entrarmos nesse campo, vamos conversar um pouco mais sobre as emoções para dissipar algumas dúvidas.

As emoções, sob certo ponto de vista, são ecológicas. Ou seja, não trazem em si própria a característica de serem positivas ou negativas.

Em algumas situações e dentro de um curto período de tempo, a raiva pode ajudar a superar um obstáculo! Nesse caso ela foi positiva.

Em outras situações, o medo pode ser responsável pela sobrevivência. Também um resultado positivo.

Percebam que quando a emoção tem uma curta duração podemos ter um aprendizado importante para incorporar em nossa sabedoria.

Compreenderam?

A química da emoção tem uma duração em nosso corpo antes de serem reabsorvidas. Esse tempo é chamado de período refratário. Quanto menor o período refratário, maior será nossa inteligência emocional.

Portanto, podemos utilizar nossas emoções de forma positiva e também de forma negativa.

O que se sabe pelas pesquisas é que experiências negativas produzem emoções de teor negativo. Por exemplo, sentir culpa durante anos e anos de forma repetitiva e sentir raiva por anos e anos também não trazem benefícios evolutivos. Pelo contrário, nos prendem em nossas mesmices. Em algum momento na nossa evolução elas já foram úteis. Porem, agora, precisamos enfatizar outras emoções, para transcender outros estágios.

O cérebro é como “teflon” para emoções de teor positivo e como “velcro” para emoções de teor negativo.

Os automatismos para a química das emoções negativas estão bem estabelecidos. Já os automatismo para a química das emoções positivas necessitam de empenho consciente ainda. Não somos habituais na alegria, no amor, no carinho, na autoestima, no merecimento, na calma etc.

Mas estamos no caminho.

Um grande benefício que o conhecimento da física quântica trouxe para a humanidade é a compreensão de um grande campo unificado chamado de campo quântico onde estão todas as potencialidades do vir-a-ser.

Uma mudança enorme de compreensão, pois o paradigma newtoniano até então nos forneceu a ideia de causa e efeito. Nesse paradigma estamos fadados ao determinismo da realidade sem nenhum poder de mudança. Somos vítimas de nossos genes e de nossa realidade externa. Somos seres separados. Somos vítimas. Nasci para sofrer e não posso mudar isso. Aff! Não mesmo!

Com o novo paradigma quântico demos um salto de compreensão. O paradigma quântico transcendeu o paradigma newtoniano e o incorporou em sua constituição.

Agora, somos capazes de escolhas! Escolhemos nossa realidade pois somos nós, como consciências em evolução, que produzimos a nossa realidade.

Nossa personalidade/assinatura energética/Estado de Ser produz nossa realidade pessoal.

A matéria fornece as possibilidades. As infinitas possibilidades de escolha. Nesse campo quântico estão todas as realidades em potencialidades como que esperando a nossa consciência acessá-las para escolher e manifestá-las em nossa experiência.

Diante dessa compreensão precisamos assumir a responsabilidade pela nossas existência. Somos responsáveis por nossas escolhas conscientes e inconscientes.

Há uma necessidade de mudar nossa assinatura energética, mudar nosso estado de ser para interrompermos os loops.

Transmitir uma nova informação para esse campo quântico de infinitas possibilidades.

Como?

Tornando-se consciente dos processo inconscientes.

Utilizando os 3 cérebros para pensar, fazer e ser. Um ser diferente. Um novo pensamento, um novo comportamento e um novo sentimento.

O Lobo pré-frontal nos dá uma capacidade impar. Apenas os seres humanos a possui. Capacidade de autoconsciência. Capacidade de pensar sobre aquilo que pensamos. Essa capacidade se chama metacognição.

Como?

Comece a perceber seus hábitos! Como a perceber seus comportamentos! Comece a perceber seus sentimentos!

Não deixe os automatismo das suas memórias emocionais e neurológicas comandarem e determinarem o seu destino.

Crie um novo futuro!

Como?

Aproveite as oportunidades dos relacionamentos. Eles são fundamentais para sinalizar aquilo que precisamos de mais urgente para evoluirmos como seres conscientes.

De cada relacionamento emerge uma experiência e permite nos tornamos conscientes de nossos processos inconscientes.

Relacionamentos e emoções!

Medite!

Dr Milton Moura

2 respostas para ‘Relacionamentos e Emoções

  1. Maravilhoso tudo isso, dr Milton!
    Veja só: eu já tinha ouvido o sr falar (em palestra e redes sociais) sobre nosso cérebro trino e sobre sermos viciados nas nossas emoções já faz algum tempo. Hoje, assistindo alguns vídeos buscando entender um pouco mais sobre o funcionamentos das Leis Universais, deparei-me novamente com informações sobre o cérebro trino, carga elétrica e campo eletromagnético, o que entra, de certa forma, no seu tema de hoje.
    E não é que, agora à noite, abro o meu e-mail e esse seu texto riquíssimo me aguardava pra finalizar o dia com chave de ouro?
    Eu amo essas sincronicidades!!!
    Gratidão por compartilhar o seu conhecimento tão generosamente.
    Abraços fraternos.

    Curtir

Deixe seu comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s